22 de jun de 2011

Os opostos se distraem

No apogeu de sua masculinidade
Descobriu o gosto pelo masculino.
Tão cheio de certezas
Ficaria vazio delas se não soubesse;
Que elas foram substituídas por outras.
A solidão deixa o coração apertado
E o pensanmento folgado, livre pra ser
Quem sempre quis ser.
Cada lágrima falando
O que queriam dizer todos os pensamentos calados
Descubriu que é forte e;
Acreditou que realmente é
Nem sempre os opostos se atraíram
Quase sempre se distraíram
Nem sempre se atraíram.

18 de mai de 2011

História Mal Feita

Páginas e páginas em branco
Um jarro com água
e o verso rabiscado.
Dias e dias com o vento soprando lá fora
Os arranjos perdendo suas cores
Meu quarto trancado
A janela fria embaçada
Da minha respiração desritmada e ofegante
Duas rosas vermelhas
Entre as páginas sete e oito
Da nossa história mal escrita
Dos nossos desenhos não feitos
Dos nossos sonhos desfeitos
Dos nossos dias imperfeitos
Longe de algo que não sabemos explicar
Longe daquilo que deveria ser chão
Minhas flores ainda brotam no seu coração sujo.

17 de mai de 2011

Drama

Eu gosto dos sentimentos dramáticos
Dos amores sinceros
Da chuva que molha
Do vento que corre
Da folha que cai
Do sorriso singelo
Do abraço fraterno
Dos amores eternos.
Aprendo a levantar,
Me aperfeiçoo em cair
Planto sementes
Colho flores
E penso nos beijos
Tão simples
Singelos
Ardentes
Marcantes
Esvoaçantes
Enigmáticos
Imaginários.

14 de mai de 2011

Tão Fácil

Pra quem não quer
Mais fácil mentir
Pra quem promete
Mais fácil não cumprir
Pra quem quer
Persistir
Pra quem tem medo
Mais fácil fugir
Pra quem quer fugir, a explicação
Pra quem tem sonhos
Suspirar
Pra quem quer sexo
sair na noite
Pra quem quer um amor
Resta esperar
Pros indecisos;
Decidir é a tristeza.
Pros orgulhosos
O silêncio
Pra quem perde,
A lágrima
Pra quem se magoou 
O sorriso triste
O silêncio;
As lágrimas;
O frio; 
A distância.
Pra quem magoa, a desculpa.
A quem engana a culpa.
Tão fácil culpar.
Tão estranho curar.

5 de abr de 2011

Estranho Invisível

Não sei que gosto tem
Nem sei de onde provém
Não sei se é de alguém
Ou se não é de ninguém
Não se realmente veio
Por que será que todos tem receio ?
Parecem pegadas na areia
Ninguém vê, alguns sentem
Nem todos conseguem
Nem todos perseguem
Nem todos vencem.
Nem rio
Nem mar
Nem brisa
Mas se venta parecido...
Não faz sentido negar.
Dias e dias, noites e noites
Entre as tardes, o olhar
Ninguém sonha, ninguém vê;
Mas algumas vezes querem ser.

20 de mar de 2011

Jogada Injusta

No começo eu achava que só rolava diversão.
Eu jogava tudo e parecia que ele jogava tudo fora.
Guardava segredos e eu, desconfiava
Me devorava vivo ali na mesma hora, e eu adorava
Tentava me ganhar
Ganhava, mas não levava o prêmio
Ele achava que me namora
Ele pensava que eu estava lá, do lado dele quando quisesse
O dinheiro não compra, amor
O dinheiro não compra amor
E foi mudando
Tudo foi mudando 
O carinho já não era o mesmo que tentava seduzir
Tenta conquistar
O sorriso já não era o mesmo
De carnal a mental... 
Seria como dar um tempo e ver como fica
Um oceano de distância
Meia década pras coisas se ajeitarem
E quando dizia que estava fora, parecia que me tinha na sua mão.
As cartas, nunca houveram cartas. Um amor sem cartas.
Sem letras.
Apenas com beijos.

2 de mar de 2011

Seria liberdade demais ?

Estive pensando em acordar, me jogar no meio do mundo e não deixar nenhum vento mais me tirar o vôo...
Vai ser melhor ser quem quero ser
Vai ser melhor querer as coisas que quero
Desejar as coisas que meus desejos, desejam.
Ver o mundo da forma que meu coração quer, não como meus olhos verem.
Sentir o ar entrando pros meus pulmões
Sentir cada célula respirar de uma forma que cada um sabe fazer
Ouvir os sons que forem agradáveis;
Deixar o barulho entrar pelo ouvido direito e sair pelo esquerdo
Deixar o paladar provar o doce, azedo, salgado e porque não o amargo
Tocar e saber sentir
Ver o tempo passar e mesmo assim sentir que cada segundo, foi o segundo mais importante naquele momento.
Afinal, uma hora o vento cessa, e vai ser muito fazer um bom pouso do que se deixar cair no chão.

5 de fev de 2011

Do Autor #3

Lute.
Ainda há tempo pra dizer que o amor adormeceu, e que agora, ele resolveu acordar.
Sorria, abrace, beije, seja presente.

31 de jan de 2011

Do Autor #2

Verdade seja dita, conselhos nunca foram a melhor forma de ninguém fazer a coisa certa, até porque se fossem, entra em cena aquilo que as vovós sempre falam; seriam vendidos e não dados, até porque ninguém compraria algo que não usa. 
Pessoas, na maioria das vezes fazem burrada. Eu sou um exemplo disso, você que tá lendo, também.
Já ouvi dizer que fazer merda, ajuda adubar a vida, quem foi o imbecil que inventou isso ? 
Já deviam vender esses adubos prontos, porque cagar o "quintal" todo pra ter experiência, fede no início e pode até ser legal na hora, mas quando chegar a hora de limpar a terra, vai por mim; vai ser péssimo.
E olha, é mais do que normal percebemos isso depois que tudo que você mais tinha de valioso e brilhante nas mãos, vira areia.
Você tá lá sentado na praça sorrindo com seus amigos e jogando conversa fora, muitas pessoas te olham e você olha pra muitas pessoas, diz que superou tudo e ri ainda mais, as horas vão passando e você vai pra casa, vê uma foto qualquer em cima da estante, em que vocês dois estão abraçados, seus olhos se enchem de lágrimas, você lembra dos erros que cometeu, se chama de burro e o caralho a quatro, pensa em chorar, mas você é orgulhoso demais pra isso, mesmo sabendo que seus olhos já estão todos molhados, elas começam a cair e você diz que não está chorando, finalmente e você olha pra foto de novo... pronto, você nunca mais mais vai ser feliz na vida. 
Pensa.
Pior ainda ainda é constatar que tem uma possibilidade disso ser verdade.
Você é o fodão e pega quem tiver te dando mole pela frente, e que pelo menos tenha algo que atraia a sua atenção, na verdade, você tem quem quiser na hora que quiser; e chega a conclusão de que a única pesoa que você quer, você não vai ter  porque fez burrada lá no alto do texto, na verdade, só assumiu que fez, mas não falou o que era (entenda-se como alguns meses atrás, que você não fez o que queria fazer agora).
Chega a ser constrangedor, no começo, quando você resolve mostrar pra todo mundo o quão tapado você é e o que você sente, mas não faz diferença nenhuma mesmo, você já assumiu pra si mesmo que é imbecil e que na vida tudo vai se perdendo; a começar pela vergonha na cara e o censo do ridículo, que a essa altura do campeonato, já se foi lá pra onde Judas perdeu a meia do pé esquerdo.
Se passam dias e quando percebe-se os meses engoliram tudo que passou, você segue a sua vida e a pessoa que você deixou virar areia segue a vida dela;  e antes que você perceba, ela já se ajeitou há tempos com outra pessoa e uma hora, a ficha cai: Você está fora da jogada.
Mas será que um dia você levou em consideração que a pessoa esteve lá o jogo todo e cansou de esperar você pra brincar, silenciosamente ela pega as cartinhas dela e vai embora. E aí camarada, já era. 
Agora você faz partes dos tontos, burros, idiotas e qualquer adjetivo que faz jus a sua "ignorância", dos que amam e não são correspondidos...
Faz parte né, podia não fazer, mas você optou por isso. 
E mais uma vez a ficha cai, na verdade, ela cai toda hora, mas você ingora ela; voltando, a ficha cai e esses inúmeros "você" que você vai lendo no texto, se transformam unicamente em eu.