31 de jan de 2011

Do Autor #2

Verdade seja dita, conselhos nunca foram a melhor forma de ninguém fazer a coisa certa, até porque se fossem, entra em cena aquilo que as vovós sempre falam; seriam vendidos e não dados, até porque ninguém compraria algo que não usa. 
Pessoas, na maioria das vezes fazem burrada. Eu sou um exemplo disso, você que tá lendo, também.
Já ouvi dizer que fazer merda, ajuda adubar a vida, quem foi o imbecil que inventou isso ? 
Já deviam vender esses adubos prontos, porque cagar o "quintal" todo pra ter experiência, fede no início e pode até ser legal na hora, mas quando chegar a hora de limpar a terra, vai por mim; vai ser péssimo.
E olha, é mais do que normal percebemos isso depois que tudo que você mais tinha de valioso e brilhante nas mãos, vira areia.
Você tá lá sentado na praça sorrindo com seus amigos e jogando conversa fora, muitas pessoas te olham e você olha pra muitas pessoas, diz que superou tudo e ri ainda mais, as horas vão passando e você vai pra casa, vê uma foto qualquer em cima da estante, em que vocês dois estão abraçados, seus olhos se enchem de lágrimas, você lembra dos erros que cometeu, se chama de burro e o caralho a quatro, pensa em chorar, mas você é orgulhoso demais pra isso, mesmo sabendo que seus olhos já estão todos molhados, elas começam a cair e você diz que não está chorando, finalmente e você olha pra foto de novo... pronto, você nunca mais mais vai ser feliz na vida. 
Pensa.
Pior ainda ainda é constatar que tem uma possibilidade disso ser verdade.
Você é o fodão e pega quem tiver te dando mole pela frente, e que pelo menos tenha algo que atraia a sua atenção, na verdade, você tem quem quiser na hora que quiser; e chega a conclusão de que a única pesoa que você quer, você não vai ter  porque fez burrada lá no alto do texto, na verdade, só assumiu que fez, mas não falou o que era (entenda-se como alguns meses atrás, que você não fez o que queria fazer agora).
Chega a ser constrangedor, no começo, quando você resolve mostrar pra todo mundo o quão tapado você é e o que você sente, mas não faz diferença nenhuma mesmo, você já assumiu pra si mesmo que é imbecil e que na vida tudo vai se perdendo; a começar pela vergonha na cara e o censo do ridículo, que a essa altura do campeonato, já se foi lá pra onde Judas perdeu a meia do pé esquerdo.
Se passam dias e quando percebe-se os meses engoliram tudo que passou, você segue a sua vida e a pessoa que você deixou virar areia segue a vida dela;  e antes que você perceba, ela já se ajeitou há tempos com outra pessoa e uma hora, a ficha cai: Você está fora da jogada.
Mas será que um dia você levou em consideração que a pessoa esteve lá o jogo todo e cansou de esperar você pra brincar, silenciosamente ela pega as cartinhas dela e vai embora. E aí camarada, já era. 
Agora você faz partes dos tontos, burros, idiotas e qualquer adjetivo que faz jus a sua "ignorância", dos que amam e não são correspondidos...
Faz parte né, podia não fazer, mas você optou por isso. 
E mais uma vez a ficha cai, na verdade, ela cai toda hora, mas você ingora ela; voltando, a ficha cai e esses inúmeros "você" que você vai lendo no texto, se transformam unicamente em eu.