8 de nov de 2012

Todos Vocês

Chorei por todas as pessoas que valem a pena e que passaram na minha vida deixando algum valor
De gestos pequenos e sinceros, fiz deles a minha canção
Se todos fossem eternos...
Ah se todos fossem eternos !
Meu coração estaria em paz
Até que sol se desprendesse do céu
E se ele nunca se desprendesse, pra mim estaria tudo bem
Nem todos os dias são claros
Nem todas as noites são chuvosas
E ainda acredito que a lua poderia ser cheia todas as noites
Só pra eu poder saber que nenhum querido meu caminharia nas sombras
Mas o céu está lá
E eu sei que uma hora qualquer
Estaremos todos juntos
Todos nós, numa noite estrelada
Rindo de tudo que passou
E se um dia eu não conseguir não mais lembrar
Não deixem de me amar
De voz rouca e passos trêmulos
Eu poderia fechar os olhos
E por todos vocês ainda chorar
Por mais nada recordar
Então por favor
Não deixem de me amar.

22 de jun de 2011

Os opostos se distraem

No apogeu de sua masculinidade
Descobriu o gosto pelo masculino.
Tão cheio de certezas
Ficaria vazio delas se não soubesse;
Que elas foram substituídas por outras.
A solidão deixa o coração apertado
E o pensanmento folgado, livre pra ser
Quem sempre quis ser.
Cada lágrima falando
O que queriam dizer todos os pensamentos calados
Descubriu que é forte e;
Acreditou que realmente é
Nem sempre os opostos se atraíram
Quase sempre se distraíram
Nem sempre se atraíram.

18 de mai de 2011

História Mal Feita

Páginas e páginas em branco
Um jarro com água
e o verso rabiscado.
Dias e dias com o vento soprando lá fora
Os arranjos perdendo suas cores
Meu quarto trancado
A janela fria embaçada
Da minha respiração desritmada e ofegante
Duas rosas vermelhas
Entre as páginas sete e oito
Da nossa história mal escrita
Dos nossos desenhos não feitos
Dos nossos sonhos desfeitos
Dos nossos dias imperfeitos
Longe de algo que não sabemos explicar
Longe daquilo que deveria ser chão
Minhas flores ainda brotam no seu coração sujo.

17 de mai de 2011

Drama

Eu gosto dos sentimentos dramáticos
Dos amores sinceros
Da chuva que molha
Do vento que corre
Da folha que cai
Do sorriso singelo
Do abraço fraterno
Dos amores eternos.
Aprendo a levantar,
Me aperfeiçoo em cair
Planto sementes
Colho flores
E penso nos beijos
Tão simples
Singelos
Ardentes
Marcantes
Esvoaçantes
Enigmáticos
Imaginários.

14 de mai de 2011

Tão Fácil

Pra quem não quer
Mais fácil mentir
Pra quem promete
Mais fácil não cumprir
Pra quem quer
Persistir
Pra quem tem medo
Mais fácil fugir
Pra quem quer fugir, a explicação
Pra quem tem sonhos
Suspirar
Pra quem quer sexo
sair na noite
Pra quem quer um amor
Resta esperar
Pros indecisos;
Decidir é a tristeza.
Pros orgulhosos
O silêncio
Pra quem perde,
A lágrima
Pra quem se magoou 
O sorriso triste
O silêncio;
As lágrimas;
O frio; 
A distância.
Pra quem magoa, a desculpa.
A quem engana a culpa.
Tão fácil culpar.
Tão estranho curar.

5 de abr de 2011

Estranho Invisível

Não sei que gosto tem
Nem sei de onde provém
Não sei se é de alguém
Ou se não é de ninguém
Não se realmente veio
Por que será que todos tem receio ?
Parecem pegadas na areia
Ninguém vê, alguns sentem
Nem todos conseguem
Nem todos perseguem
Nem todos vencem.
Nem rio
Nem mar
Nem brisa
Mas se venta parecido...
Não faz sentido negar.
Dias e dias, noites e noites
Entre as tardes, o olhar
Ninguém sonha, ninguém vê;
Mas algumas vezes querem ser.

20 de mar de 2011

Jogada Injusta

No começo eu achava que só rolava diversão.
Eu jogava tudo e parecia que ele jogava tudo fora.
Guardava segredos e eu, desconfiava
Me devorava vivo ali na mesma hora, e eu adorava
Tentava me ganhar
Ganhava, mas não levava o prêmio
Ele achava que me namora
Ele pensava que eu estava lá, do lado dele quando quisesse
O dinheiro não compra, amor
O dinheiro não compra amor
E foi mudando
Tudo foi mudando 
O carinho já não era o mesmo que tentava seduzir
Tenta conquistar
O sorriso já não era o mesmo
De carnal a mental... 
Seria como dar um tempo e ver como fica
Um oceano de distância
Meia década pras coisas se ajeitarem
E quando dizia que estava fora, parecia que me tinha na sua mão.
As cartas, nunca houveram cartas. Um amor sem cartas.
Sem letras.
Apenas com beijos.